terça-feira, 5 de outubro de 2010

Poemas de Antonio Gutman

LIBERDADE

 

NÃO DEIXE PARA AMANHÃ

O VERSO ENTALADO EM SUA GARGANTA.

 

SOLTE O VERBO

IMAGINADO E PRODUZIDO NA INFÂNCIA.

 

DESAMARRE AS PALAVRAS

AMARRADAS EM SEU CÉREBRO.

 

LIBERTE O ÚLTIMO PARÁGRAFO

PRESO NAS MALHAS DA CENSURA.

 

DÊ ASAS AOS ACENTOS, PONTOS E VÍRGULAS,

E DISTRIBUA-OS DE MANEIRA SENSATA E DEMOCRÁTICA

 

ENTENDA OS SONS

QUE SURGEM DAS PALAVRAS IMPRESSAS NO PAPEL.

 

TRADUZA OS RABISCOS

FEITOS NA NOITE SOLITÁRIA E MAL DORMIDA.

 

IMAGINE AS LETRAS SOLTAS,

DEPOIS, PRENDA-AS NO PAPEL.

 

CONSTRUA UM POEMA, ENFIM!

                                                                                                       

                                    Antonio Gutman

 


NÃO VIVO DE POESIA

É APENAS UM HOBBY,

UMA SATISFAÇÃO,

TANTOS LIVROS

MUITO SOFRIMENTO

VENDI 30,

DOEI 200.

 

NÃO VIVO DE POESIA

É APENAS UM HOBBY,

UMA ALEGRIA,

TANTOS LIVROS

MUITOS FORAM LEVADOS PELO VENTO

VENDI 30,

DOEI 200.

 

NÃO VIVO DE POESIA

É APENAS UM HOBBY,

UM VÍCIO,

TANTOS LIVROS

MUITO ABORRECIMENTO

VENDI 30,

DOEI 200.

 

NÃO VIVO DE POESIA

É APENAS UM HOBBY,

UMA TARA,

TANTOS LIVROS

MAS COM ORGULHO,

ACRESCENTO,

VENDI 30,

DOEI 200.

                         Antonio Gutman



 

 



--

Um comentário:

  1. Depois de Leminsk, só Antônio Gutman !
    João João.

    ResponderExcluir